Você sabe qual é o lugar mais sujo em um avião?

Viajar de avião, principalmente em viagens longas, pode ser um desafio para o organismo. Basta lembrar que você estará dividindo um espaço fechado com um grande número de pessoas. Mas qual seria o lugar com o maior número de bactérias em um avião?

O site de planejamento de viagens Travelmath colheu 26 amostras em quatro voos de duas companhias aéreas que não foram identificadas. Também foram coletadas amostras em cinco aeroportos. O material foi analisado em laboratório para verificar o total de bactérias presentes. O resultado deve surpreender quem acha que o banheiro concentra o maior número de bactérias. Na verdade, elas estão mais perto ainda dos passageiros. Na mesinha de apoio.

Segundo o Travelmath, o número de bactérias encontradas nas mesinhas foi oito vezes maior do que o encontrado no botão de descarga do banheiro dos aviões. Também ficou bem acima do verificado no material recolhido na saída de ar individual que fica acima dos assentos e na fivela do cinto de segurança.

Uma explicação para essa diferença é que os banheiros são higienizados com maior frequência, o que não ocorre com as mesinhas, indica o site, alertando para a importância de “eliminar qualquer contato direto de sua comida com a mesa”, para evitar a transmissão de bactérias para a boca.

Outros estudos já foram feitos sobre a limpeza dos aviões e apontaram os bolsos que ficam atrás das poltronas, as persianas das janelas e os descansos de braço como locais onde a concentração de bactérias também é alta.



Dicas

O médico Ralcyon Teixeira, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, destaca algumas regras básicas a serem seguidas por quem quiser minimizar os riscos de uma contaminação provocada por bactérias:

– Quando for ao banheiro, lavar as mãos e usar uma folha de papel para puxar a maçaneta da porta, que é mais contaminada, já que nem todo mundo lava as mãos.

– Tentar higienizar as mãos antes de se alimentar. As companhias aéreas, principalmente em voos internacionais, distribuem lenços umedecidos na hora das refeições que podem ser usados para a limpeza das mãos.

– Tentar não colocar as mãos na boca, no nariz ou nos olhos. “A gente faz muito isso sem perceber. É bom se policiar”, diz o especialista.


Aeroportos

Nos aeroportos, o lugar mais contaminado segundo o Travelmath foi o botão que aciona o bebedouro, seguido da maçaneta dos banheiros. O estudo não especificou quais os tipos de bactérias encontrados, mas um resultado foi positivo. “A boa notícia é que todas as 26 amostras coletadas em aviões e aeroportos deram negativo para a presença de coliformes fecais como E. coli, que podem potencialmente causar infecções”, ressalta a pesquisa.

Ranking

Em unidades de formação de colônia – medida que indica a quantidade de bactérias – o ranking negativo da Travelmath ficou assim:

Mesinha de apoio – 2.155
Bebedouro – 1.240
Saída de ar – 285
Botão de descarga – 265
Cinto de segurança – 230
Fechadura do banheiro – 70

Nenhum comentário:

Postar um comentário