SKY anuncia voos direto para Salvador e a retomada da rota de Florianópolis

A companhia aérea chilena SKY, eleita pelo segundo ano consecutivo a melhor low cost da América do Sul pela Skytrax, vai começar a voar de Salvador (BA) para Santiago a partir do próximo dia 30 de dezembro. 


Serão três voos por semana, sem escalas, às segundas, quartas e sábados, e as passagens já estão à venda com valores a partir de US$ 179 mais taxas de embarque (Tarifa Zero).

A conexão entre as duas cidades será sazonal e vai vigorar de 30 de dezembro a 2 de março de 2020. A expectativa é de que a nova rota traga ainda mais turistas para o Brasil, uma vez que a cidade de Salvador está entre os destinos preferidos dos chilenos. Ao mesmo tempo, vai permitir que os brasileiros, residentes em Salvador, possam voar sem escalas para visitar o Chile e apreciar os vinhos, a gastronomia, a cultura e a hospitalidade daquele país.

“Poder presentear os passageiros com a possibilidade de voar sem escalas entre Santiago e Salvador é uma grande conquista na nossa operação, pois seremos a única companhia aérea a oferecer este voo direto e, ao mesmo tempo, sabemos que o mercado brasileiro tem enorme potencial”, disse a diretora comercial da SKY Carmen Gloria Serrat.

Por outro lado, o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto, ACM Neto, disse que os voos da SKY “reafirmam o compromisso que o governo local tem de impulsionar iniciativas que aumentem o fluxo turístico. No verão passado, tivemos o maior movimento de turistas da década e este ano queremos superar esta marca.”


Rota Santiago-Florianópolis 


Depois de oito meses da chegada da SKY ao Brasil, a companhia aérea vai reativar a rota Santiago-Florianópolis, o que mostra o bom resultado que a empresa teve desde a retomada da operação para aquele país. Os voos começam a partir de 5 de novembro e as passagens aéreas já podem ser compradas. Os valores variam a partir de US$ 51 mais taxas de embarque (Tarifa Zero). Inicialmente serão dois voos por semana, mas em dezembro passarão a seis por semana.

Devido à alta demanda de turistas chilenos interessados em viajar para o Rio de Janeiro durante o verão, a SKY também vai dobrar o número de frequências nos meses de alta temporada, janeiro e fevereiro de 2020, quando serão 12 voos semanais. Atualmente, são seis voos por semana entre o Rio de Janeiro e Santiago.

“O que nos motiva todos os dias é poder não só transportar passageiros, mas proporcionar experiências, sonhos e projetos, colocando o céu ao alcance de todos. A nova rota para Salvador, além da reativação e reforço de Florianópolis e Rio de Janeiro, vai nessa direção, oferecendo destinos atraentes e cada vez mais acessíveis para as férias de verão, resumiu Serrat.

Do outro lado, segundo os números divulgados pelo Servicio Nacional de Turismo (Sernatur), o Chile também está entre os destinos favoritos dos brasileiros. Em 2018, cerca de 600 mil turistas brasileiros estiveram no Chile, representando um crescimento de 8,1% em relação ao ano anterior

Mais informaçoes www.skyairline.com

Museu Histórico Nacional recebe exposição histórica 'Nas asas da Panair'



Nas Asas da Panair é como ficou conhecida a canção, de 1974, de Milton Nascimento e Fernando Brant, que tinha os títulos Saudade dos aviões da Panair e Conversando no bar, interpretada por Elis Regina.

 Cerveja que tomo hoje é//Apenas em memória dos tempos da Panair//A primeira Coca-cola foi//Me lembro bem agora, nas asas da Panair//A maior das maravilhas foi//Voando sobre o mundo nas asas da Panair”.

Nas Asas da Panair é também o título da exposição que o Museu Histórico Nacional [MHN], no Rio de Janeiro, inaugura em 11 de julho, às 11h30, sob curadoria da historiadora Mariza Soares.

A mostra apresenta itens da coleção criada em 2017 como resultado de uma parceira entre a empresa Panair do Brasil e a Família Panair, uma associação que reúne antigos funcionários da companhia. Ao longo de um ano foram coletados quase 700 peças, entre objetos e material de divulgação impresso.

Em 10 de fevereiro de 1965, a Panair do Brasil teve suspensas todas as suas concessões de voo, por um despacho do Presidente da República Marechal Castello Branco. A alegação, provadamente inverídica, foi a de que a situação financeira da empresa era irrecuperável. Sem poder operar, a companhia dispensou os funcionários, mas a saúde financeira da companhia permitiu que todos fossem indenizados.
                      
No ano seguinte, ainda sob o choque do desmonte da empresa, foi criada a Família Panair. Desde 1966, o grupo se encontra uma vez por ano para preservar a memória da companhia e a amizade entre eles.

A ideia de criar uma coleção com itens que cada um guardava dos tempos dos voos surgiu, em 2016, na celebração dos 50 anos da Família Panair.

Quase todos contribuíram com folhetos, medalhas comemorativas, uniformes, adereços, louça, maletas de mão, brindes, fotografias, fitas e CDs com entrevistas, outros tipos de documentos e pequenos luxos, como protetor de caneta tinteiro, guardanapo de linho e talher de prata dos “tempos da Panair”. Alguns objetos foram adquiridos nos leilões de liquidação da empresa.

A propósito dos leilões, Carlos Drummond de Andrade escreveu uma crônica, publicada no Jornal do Brasil em outubro de 1969:

[…] E ninguém ali sentia nada de especial diante do corpo derrotado na Panair, de seus intestinos à mostra. Quase todos teriam usado suas linhas, comido seus jantares, lido seus jornais brasileiros em Paris, mas a hora era de liquidação, e não de saudades. […]

Desde sua concepção inicial, foi prevista a doação da coleção ao Museu Histórico Nacional. Durante dois anos,  Rodolfo da Rocha Miranda, diretor-presidente da Panair do Brasil, coordenou a coleta da memorabilia, que foi, concomitantemente, organizada por historiadores e museólogos.

Todos os colaboradores tiveram os itens doados cadastrados e  fotografados. A Panair do Brasil financiou a construção da coleção e esta exposição como uma homenagem a seus funcionários, familiares e todos os que, ao longo dos últimos cinquenta anos, contribuíram para manter viva a memória da empresa e daqueles que contribuíram com ela.


Exposição

A historiadora Mariza Soares explica sua curadoria: “Para esta mostra foram selecionados os itens que atestam a modernidade da empresa e seu alto padrão de funcionamento, então conhecido como ‘padrão Panair’. Mas mais que isso a coleção atesta a determinação da Família Panair de preencher o vazio que o fechamento da empresa deixou em suas vidas”.


“Os doadores, antigos funcionários e seus familiares, o fizeram na certeza de que ao ceder suas relíquias pessoais a uma instituição como o Museu Histórico Nacional abrem mão delas para criar uma coleção coletiva que irá sobreviver a todos e prolongar a memória da empresa e de seus funcionários”, argumenta Mariza Soares.

O conjunto da mostra ilustra o conceito curatorial de modernidade e alta qualidade com cerca de 300 artigos: vestuário da tripulação – uniforme e adereços, serviço de bordo – louça [porcelana Rosenthal], faqueiro de prata [Eberle e Fracalanza], brindes – chaveiro, cinzeiro, baralho, caneta, estojos de toalete, de costura e de correspondência, fotos pessoais e documentais garimpadas na Biblioteca Nacional e no Arquivo Nacional, e matérias de jornal, principalmente da época do fechamento da Panair. Há uma vasta seleção de peças gráficas promocionais de roteiros nacionais e internacionais, folhinhas, menus de bordo, encarte para passagens e outros materiais de folheteria.






 

Sobre a Panair

Há exatos 90 anos, em 1929, surgia no Brasil uma subsidiária da americana Nyrba [Nova York–Rio-Buenos Aires] que, no ano seguinte, incorporada pela Pan American, passou a se chamar Panair. Foi a principal companhia aérea do país. Em 1961, com a entrada dos empresários Celso da Rocha Miranda [1917-1986] e Mario Wallace Simonsen [1909-1965] a Panair teve seu longo processo de nacionalização concluído. O carioca Rocha Miranda tinha a maior corretora de seguros da América do Sul; o paulista Simonsen era o maior exportador de café do país, dono da TV Excelsior e de mais dezenas de empresas.


Era a Panair que, nos anos 1930 atendia a Amazônia, promovendo a integração da região com o resto do país. Com seus hidroaviões, levava carga e remédios e transportava doentes.

A Panair do Brasil se tornou a segunda maior companhia aérea do mundo. Foi a primeira estrangeira e pousar no aeroporto de Heathrow em Londres,  quando a pista ainda era de terra. Voava para capitais da América do Sul, Europa e Beirute, Cairo, Istambul, Dacar, entre outras.

A excelência de atendimento nos voos e em terra mundo afora e do design de suas peças gráficas, da louça de bordo, dos uniformes e brindes rendeu-lhe a expressão “padrão Panair” para designar qualquer coisa que fosse de alta qualidade fora do âmbito da aviação, tal como se usou décadas depois o Padrão Globo de qualidade”.

A canção de Milton Nascimento e Fernando Brant tinha o título “Saudade  dos aviões da Panair”. A empresa fora fechada pelo governo militar e, por precaução, os autores criaram um segundo título  “Conversando no bar”.

Em 2005, o jornalista paulista Daniel Leb Sasaki, então com 23 anos, publicou o livro “Pouso forçado”, relançado em 2015 em edição muito ampliada, depois da Lei de Acesso à Informação e da Comissão Nacional da Verdade, que propiciaram ao autor acesso a material inédito. A primeira edição foi indicada ao Prêmio Jabuti.

O cineasta Marco Altberg lançou, em 2007, o documentário “Nas Asas da Panair- uma história de glamour e conspiração”, que narra a história da companhia através de depoimentos de ex-funcionários, dos familiares do seu presidente, Paulo de Oliveira Sampaio, dos acionistas Rocha Miranda e Simonsen e ex-passageiros como Eduardo Suplicy, Norma Benguell, Milton Nascimento e Fernando Brant.

Foi em um voo da Panair que, conta Brant, ele tomou a primeira coca-cola da sua vida e o menino Milton, segundo ele próprio, era convidado a visitar a cabine de comando quando viajava com os pais. 

As imagens de arquivo incluem um segmento do filme "Um só Pecado [La Peau Douce]", de 1964, de François Truffaut, em que o editor interpretado por Jean Desailly viaja pela Panair.
                                                               

MHN e a Coleção Panair

Esta coleção é a primeira sobre uma empresa que o Museu Histórico Nacional incorpora. A inovação decorre principalmente do fato de ela ser constituída por doação e participação de ex-funcionários da empresa e familiares em colaboração com a equipe do MHN.


“A companhia de aviação Panair é o símbolo de uma época do Brasil quando a viagem de avião representava um ideal de vida moderna. O contato direto com as peças da coleção aproxima todos da história de modo sensível”, fundamenta o diretor do MHN Paulo Knauss.






Serviço

Exposição  “Nas Asas da Panair”

Período   11 de julho a 29 de setembro de 2019
Museu Histórico Nacional – Praça Marechal Âncora S/N 
Centro                 Rio de Janeiro, RJ
Visitação   terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriado, 13h às 17h
Ingressos   R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Entrada gratuita aos domingos
Confira outras gratuidades em mhn.museus.gov.br
Informações (21) 3299 0324 (recepção)

LATAM Airlines transporta chama Pan-Americana do México para Cusco como companhia aérea oficial dos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos Lima 2019

A chama Pan-Americana chegou nesta quarta-feira (03) ao Aeroporto Internacional Alejandro Velasco Astete, no voo LA2015 da LATAM Airlines Peru. Após a chegada do avião, o presidente do Comitê Organizador de Lima 2019, Carlos Neuhaus, acompanhado pelo prefeito de Lima, Jorge Muñoz, o gerente de Assuntos Corporativos da LATAM Airlines Peru, Antonio Olórtegui, e o presidente da Panam Sports, Neven Ilic, desembarcou com o símbolo deste importante evento esportivo.
 
Além disso, na cerimônia, o gerente de Assuntos Corporativos da LATAM Airlines Peru, Olórtegui, apresentou um dos dois aviões Airbus 319 (A319) que foram pintados com figuras alusivas aos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos 2019, com a frase ¡Arriba América!
 
"Nossos aviões levarão a mensagem de que o Peru é a sede dos Jogos Pan-Americanos  e Parapan-Americanos 2019, em 2019, e também será um veículo para divulgar a arte urbana de um de seus maiores expoentes, Joan Jiménez Suero, conhecido como um dos responsáveis por realizar o design que representa o sentimento e o entusiasmo de todos os atletas e peruanos como país anfitrião", disse o gerente da companhia aérea.
 
 

 
 
A partir de Cusco, a chama Pan-Americana foi transportada para Machu Picchu, onde foi realizada a cerimônia oficial de iluminação da tocha, que percorrerá 23 cidades do Peru. Entre as 900 pessoas que foram selecionadas para levar o tocha, estão 15 funcionários da LATAM Airlines Peru, que terão essa experiência única em reconhecimento ao seu compromisso e trabalho no serviço que oferecemos aos passageiros.
 
Prontos e preparados para os Pan-Americanos e Parapan-Americanos Lima 2019
 
Como companhia aérea oficial, a LATAM Airlines irá transportar aproximadamente 7.000 passageiros entre atletas Pan-Americanos e Parapan-Americanos, oficiais, juízes, árbitros e convidados dos organizadores da Bolívia, Colômbia, Equador, Paraguai, Argentina, Brasil, Chile, Uruguai, México, Costa Rica, Cuba, República Dominicana e Haiti. Ao fim dos Jogos Pan-Americanos, a companhia  irá levá-los também de volta aos seus respectivos países.
 
“Os Jogos Pan-Americanos Lima 2019 são uma oportunidade para o Peru mostrar ao mundo que estamos preparados para ser sede de eventos internacionais e que temos a capacidade necessária para realizá-los com excelência”, afirma Olórtegui.
 
Para conseguir esta excelência, a LATAM Airlines vem se preparando há meses em diferentes áreas da empresa. Somente no Peru a companhia possui aproximadamente 3.700 colaboradores, além das pessoas que atuam nos diferentes aeroportos de onde partirão os esportistas. A LATAM está totalmente focada em garantir que a experiência dos visitantes seja a melhor possível. “Sabemos que seremos os primeiros anfitriões das comitivas e, por isso, nosso foco está em deixar o Peru em alta”, reforça o gerente da companhia.
 
 

 
A 18ª edição dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 se realizará entre 26 de julho e 11 de agosto, com a participação de 6.690 esportistas de 41 países de todo o continente americano, que competirão em 39 esportes e 62 modalidades. Destas, 22 modalidades serão classificatórias para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.
 
Os Jogos Parapan-Americanos acontecerão entre 23 de agosto e 1º de setembro, com a presença de 1.890 para esportistas de 33 países do continente, participando em 17 modalidades distintas, sendo 13 classificatórias para os Jogos Paralímpicos do próximo ano.

SKY é reconhecida como a melhor low cost da América do Sul no ranking da aviação mundial

A companhia obteve o primeiro lugar na categoria “Melhor Companhia Aérea Low Cost da América do Sul”, de acordo com o ranking elaborado pela Skytrax, com base em uma votação de passageiros de todo o mundo


Pelo segundo ano consecutivo, a SKY foi premiada como a “Melhor Companhia Aérea Low Cost da América do Sul”, no ranking elaborado pela Skytrax, cujo reconhecimento se tornou referência para a indústria aeronáutica mundial, sendo chamado de o Oscar da aviação.

Os prêmios concedidos pela Skytrax - a cerimônia oficial foi na semana passada em Paris - têm uma grande relevância para a indústria, uma vez que se baseiam na satisfação dos passageiros a respeito dos padrões e produtos oferecidos por cada companhia aérea.

“Estamos muito contentes e orgulhosos de que a única companhia aérea 100% chilena tenha sido reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, como a melhor low cost da América do Sul e que são os mesmos passageiros que nos concederam este prêmio”, disse o CEO da SKY, Holger Paulmann.

Além disso, ele destacou que o prêmio recebido é produto de um trabalho que vem sendo realizado há quatro anos e fruto do compromisso que tem com os passageiros.

“Nossa proposta é ir além, não apenas oferecer passagens a baixo custo. Hoje estamos assumindo novos desafios que têm a ver com as motivações de nossos clientes nos escolherem, pois além de transportar passageiros, queremos mobilizar sonhos e disponibilizar nossas aeronaves para aqueles que mais precisam”, disse Paulmann.

Por outro lado, o CEO destacou que todas as conquistas alcançadas pela SKY foram impulsionadas pela bem sucedida gestão do plano de negócios da companhia, que implicou, entre outras iniciativas, na renovação da frota, expansão para o Peru e na incorporação de novas tecnologias.

No Brasil, a SKY oferece seis voos semanais para Santiago a partir do Rio de Janeiro, de quarta a segunda-feira. São Paulo tem cinco frequências semanais sem escalas para Santiago. As rotas para o Brasil são operadas com a nova frota de aeronaves A320neo, a mais nova e moderna de uma companhia aérea de baixo custo na América do Sul. Estas aeronaves destacam-se por sua eficiência no consumo de combustível, segurança e menor impacto no meio ambiente.

Informações e reservas em www.skyairline.com

Movimentação de total de carga no TECA de Viracopos cresce 11,6% em maio

No acumulado do ano foram movimentadas, de janeiro a maio, 95.040 toneladas


A movimentação de carga no Terminal de Carga (TECA) do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), cresceu 11,6% em maio em relação ao mesmo período do ano passado. Foram processadas 20.271 toneladas no mês passado ante 18.160 de maio de 2018.

A soma do peso movimentado inclui as cargas que tramitaram na importação, exportação, carga nacional e Courier (remessas expressas).

Já no acumulado do ano foram movimentadas 95.040 toneladas de janeiro a maio, o que representa 2,80% de alta em relação ao que foi processado no mesmo período de 2018 no TECA, quando haviam sido movimentados 92.449 toneladas. Já em 2017, nos cinco primeiros meses, foram processadas 73.780 toneladas no aeroporto.

O total de 95.040 toneladas processadas ao longo dos cinco primeiros meses deste ano estão divididos da seguinte forma: 50.144 toneladas na Importação; 27.262 toneladas na Exportação; 15.495 toneladas Nacionais e 2.138 toneladas de Courier/remessas expressas.

Outro destaque foi o fluxo de exportações em maio deste ano. Foram 6,1 mil toneladas, o maior em seis meses. Antes disso, o melhor resultado para um mês ocorreu em novembro de 2018, quando foram contabilizadas 6,7 mil toneladas.

Recorde em 2018
Viracopos registrou recorde histórico de movimentação de carga por peso em 2018 com crescimento de 18,12% em relação ao ano de 2017. No total, passaram pelo Terminal de Carga do aeroporto no ano passado 241,324 toneladas, sendo o maior índice desde o início da concessão, em 2013. Em 2017, foram 204,308 toneladas.

LATAM Airlines Brasil anuncia mais de 900 voos extras para a alta temporada

Companhia vai adicionar mais de 160 mil assentos à sua malha aérea doméstica e internacional entre 30 de junho e 16 de agosto



A LATAM Airlines Brasil planejou de forma estratégica a sua malha aérea para o atendimento dos novos fluxos de demanda na próxima alta temporada de inverno. Ao todo, foram criados 905 voos extras, que correspondem a 646 decolagens domésticas no Brasil e 259 internacionais com origem ou destino no País.

Os voos extras foram programados para o período entre 30 de junho e 16 de agosto de 2019. Com os reforços, a LATAM Airlines Brasil vai adicionar à sua malha aérea 115.328 assentos domésticos e 47.446 assentos internacionais.

O remanejamento doméstico vai reforçar rotas para Brasília, Campo Grande, Fortaleza, Florianópolis, Foz do Iguaçu, Maceió, Recife e Salvador. No mercado internacional, os acréscimos vão reforçar rotas para Bariloche, Buenos Aires, Orlando e Santiago.

Viracopos deve receber 200 mil passageiros no feriado de Corpus Christi

Dia de maior movimento deve ser registrado nesta quarta-feira com 39 mil embarques e desembarques


O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), deve receber 200 mil passageiros entre os dias 19/06 (quarta-feira) e 24/06 (segunda-feira) por causa do feriado de Corpus Christi. No mesmo período, estão previstos 1.506 pousos e decolagens no aeroporto.

O dia de maior movimento de passageiros deve ser registrado nesta quarta-feira (19/06) com a expectativa de pelo menos 39,2 mil passageiros embarcando ou desembarcando pelo terminal. Em dias de semana normais, o movimento chega a 23 mil pessoas/dia.

Além de quarta-feira (19/06), outro dia de alta no movimento de passageiros no terminal durante o feriado prolongado será na segunda-feira (24/06), com a previsão de 39,4 mil passageiros embarcando ou desembarcando por Viracopos. Também estão previstos 314 pousos e decolagens neste dia.

Já no domingo (23/06), o movimento também deve ser alto, com a previsão de pelo menos 37,3 mil pessoas passando pelo terminal. Além disso, estão previstos 298 pousos e decolagens durante este dia.

O horário de maior pico de movimento na quarta-feira (19/06) deve ser registrado entre 17h e 23h. Já nos voos da volta do feriado, os horários de maior movimento de passageiros devem ser no domingo (23/06), entre 13h e 17h, e na segunda-feira (24/06), entre 8h e 10h.

Operação
A operação especial dos feriados prolongados conta com o aumento no número de colaboradores, como atendimento aos passageiros (Posso Ajudar?), segurança, manutenção, limpeza e plantão gerencial. As lojas, cafés, lanchonetes e restaurantes espalhados pelo aeroporto também se preparam para o aumento da demanda previsto para os dias de pico de passageiros.

Entre os destinos mais procurados estão as capitais do Nordeste, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Vitória, cidades do interior de São Paulo, Orlando (EUA), Fort Lauderdale (EUA), Lisboa (POR), Porto (POR), Paris (FRA), Buenos Aires (ARG) e Bariloche (ARG).